A página da AFE na Europa

A página da AFE na Europa
(Poemafeano.wordpress.com)

A lógica do ilogismo

Ferroviária 0X1 Olímpia
(Poema AFE 612)

Do futebol a lida que começa
Vencida já por lógica suposta
Arrisca-se a propor para resposta
O ilogismo nela bem expressa.

Deste cenário ontem viu-se a peça
Na Fonte onde a platéia já aposta
De goleada ao rival dava proposta,
Que goleado fora dia há dias dessa,

Inda mais, em seus pagos, duramente
Sem apelo ou agravo; todavia
Nada se viu do mesmo novamente.

Venceu tal ilogismo esta porfia:
Que a lição se aprenda condizente
Com o cunho de sua ingresia.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
13/10/2018

Standard

A página da AFE na Europa

A página da AFE na Europa
(Poemafeano.wordpress.com)

Na (nova) rota da série D

Ferroviária 2X0 Juventus
Olímpia 1X5 Ferroviária
(Poema AFE 611)

Na Fonte, após embate assaz renhido,
Clássico em tradição de tempos findos,
Logrou vencer a AFE, os golos vindos
Quase ao final do mesmo definido;

Ontem, em passos do rival seguido,
Outro triunfo impôs a altos guindos
A irrefutáveis números advindos
De sobras no cotejo referido.

Mais uma vez na copa se destaca,
Da qual possui o título passado
O esquadrão grená, como se vê:

Que vença o novo desafio e a fraca
Lida no Nacional lhe passe ao lado
Se torna a disputar a série D.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia -Portugal
07/10/2018

Standard

Au revoir, Aznavour

Au revoir, Aznavour
(Sob calorosos aplausos de uma platéia universal)

“Hier encore” em palcos expressavas
Plenos de teu talento, enobrecido,
A platéias em êxtase vivido
Teus poemas canções que sublimavas;

Hoje o sublime onde te espraiavas
Em mais de mil composições, cumprido
O teu dever em nível tão subido,
Decerto outros aplausos conquistavas

Neste orbe e de outros mais ainda,
Colossal assistência em cuja via
Não conta espaço, tempo ou vida finda:

Que, eterno, és o poeta: em ti se amplia
A expressão de um gênio a voz infinda,
Deste mundo um dos poucos que existia.

A CHARLES AZNAVOUR (22/05/1924 – 01/10/2018) um dos poucos gênios que havia no mundo.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
02/10/2018

Standard